}

O traço do concreto funciona exatamente como uma receita. Na culinária, uma mudança na receita pode mudar o prato final, a mesma ideia funciona na produção do concreto, uma mudança na quantidade de um dos componentes pode mudar o resultado final do concreto. Entenda como funciona.

 

Na prática, o que é traço?

O concreto é produzido através da mistura da água, areia, brita, cimento e/ou aditivos, mas é o seu traço que define qual é o tipo de concreto que será concebido.  A definição do traço do concreto é uma das etapas mais importantes da obra, ele define o qual é o tipo de concreto mais adequado para as várias situações da construção, como argamassa, concreto para piso, concreto para pré-moldados, etc.

Sendo assim, o traço é a “receita de bolo na produção do concreto”. Ele mostra a quantidade de brita e areia que devem ser utilizadas na mistura para uma unidade de cimento. Por exemplo, o traço 2:2:3 indica que a proporção será de duas parte de cimento por duas partes de areia e três partes de brita, na ordem indicada. A quantidade correta de água depende da umidade da areia e da trabalhabilidade final do concreto (a trabalhabilidade do concreto pode ser indicada através do teste de Slump).

 

A dosagem correta é de extrema importância!

Há vários traços de concreto, porém o correto depende do que você está construindo e aonde será a aplicação. Por exemplo, o concreto usado para vigas é diferente do concreto usado em pisos.  Para cada tipo de aplicação, existe um traço de concreto diferente, bem como um tipo de cimento adequado. 

É importante dar atenção à quantidade de água que será usada, pois a sua má dosagem é um dos maiores causadores de problemas na produção do concreto. A água na mistura serve para formar cristais sólidos que tornam o concreto resistente.  A água em excesso pode deixar o seu concreto mole e sem resistência, e a falta pode criar falhas na estrutura, dificultando o processo de lançamento e criando “vazios”.

Na obra, um concreto com certificado de traço dá a garantia de um serviço de qualidade. Após ter o traço definido, é preciso definir a forma de produção.

 

Produzindo o concreto

Para produzir concreto manualmente, o correto é juntar primeiramente areia e cimento e misturar bem antes de adicionar brita, só depois que a água entra em jogo. Em uma betoneira comum, a sequência é: brita, uma parte da água, cimento, outra parte da água, área e mais uma parte da água. Porém, nenhum desses métodos garante a certificação da qualidade do processo da mistura, somente uma Autoconcreteira com um sistema de dosagem avançado garante a produção do concreto seguida do traço correto. O sistema CBV 2.0, presente nas Autoconcreteiras Fiori, foi uma revolução na produção de concreto no canteiro de obras, pois ele indica a quantidade e ordem correta dos agregados, pesando-os e dispensando o excesso através do seu braço carregador da Autoconcreteira, aplicando somente o necessário no balão de mistura. No final do ciclo, o sistema entrega um certificado impresso dentro da própria cabine do operador mostrando exatamente a quantidade de componentes que foi adicionado à mistura, além da porcentagem de umidade da areia.

 

Fica evidente que, quando o assunto é concreto, é crucial que a receita do traço definido no planejamento da obra seja seguida corretamente, e a certificação do concreto produzido é de grande importância para fins de garantia de qualidade na construção. A Fiori oferece uma gama de Autoconcreteiras que dispõem da mais avançada tecnologia na produção de concreto. O sistema CBV 2.0 apresenta até 20 receitas de traço pré-definidas, permitindo que qualquer um assuma o controle total do concreto em qualquer obra.